14/10/2014

11x01-I Must have lost It on the Wind- Narração

BY Joice IN , No comments

Narração dos primeiros episódios de Grey's Anatomy, nesta 11ª temporada.





“Quando eu tinha 5 anos, minha mãe me perdeu em um parque. Eu não me lembro muito, exceto que em um minuto, eu estava no carrossel e no outro… Ela não estava lá. Eu não me lembro como a encontrei. Eu não me lembro como cheguei em casa. Tudo que me lembro é o que aconteceu depois. Ela me disse para não me preocupar. Ela me disse que tudo ficaria bem. Ela me disse que era hora de jogar o jogo do silêncio, então eu sabia que não deveria perguntar nada… Ou talvez, eu deveria ter dito a ela… Eu esqueci minha boneca. Eu amava tanto aquela boneca. Deixá-la para trás me matou. Engraçado, não é, o jeito que a memória funciona… As coisas que você mal lembra e as coisas que você nunca esquece?......As vezes, temos que nos perder para nos encontrarmos. E as vezes, nos encontramos apenas para nos perdermos novamente. Você nem sempre pode controlar as coisas que vão te ajustar a deriva. E enquanto você fica parado olhando para a vida que você está para deixar para trás, você tem que aceitar que acabou, está perdido, assim como você. Tudo que você pode fazer agora é ficar bem firme e tentar permanecer aberto para onde quer que o vento te leve depois.”

“When I was 5, my mom lost me in a park. I don’t remember much, except that one minute,I was riding the carousel and the next… She was gone. I don’t remember how I found her. I don’t remember how I got home. All I remember is what happened next. She told me not to worry. She told me everything would be fine. She told me it was time to play the quiet game, so I knew I wasn’t supposed to ask any questions…Or else, I might have told her… I forgot my doll. I loved that doll so much. It killed me to leave it behind. Funny, isn’t it, the way memory works… The things you can’t quite remember and the things you can never forget?...Sometimes, we have to get lost to find each other. And sometimes, we find each other, only to get lost all over again. You can’t always control the thing that’s going to set you adrift… And as you stand there staring at the life you’re about to leave behind, you have to accept it’s gone, It’s lost, just like you. All you can do now is stand very still. Breathe in the moment, and try to be open to wherever the wind’s going to take you next.”.

“Quando eu tinha 5 anos, minha mãe me perdeu em um parque. Eu não me lembro muito, exceto que em um minuto, eu estava no carrossel e no outro… Ela não estava lá. Eu não me lembro como a encontrei. Eu não me lembro como cheguei em casa. Tudo que me lembro é o que aconteceu depois. Ela me disse para não me preocupar. Ela me disse que tudo ficaria bem. Ela me disse que era hora de jogar o jogo do silêncio, então eu sabia que não deveria perguntar nada… Ou talvez, eu deveria ter dito a ela… Eu esqueci minha boneca. Eu amava tanto aquela boneca. Deixá-la para trás me matou. Engraçado, não é, o jeito que a memória funciona… As coisas que você mal lembra e as coisas que você nunca esquece?
As vezes, temos que nos perder para nos encontrarmos. E as vezes, nos encontramos apenas para nos perdermos de novo. Você nem sempre pode controlar as coisas que vão te ajustar a deriva. E enquanto você fica parado olhando para a vida que você está para deixar para trás, você tem que aceitar que acabou, está perdido, assim como você. Tudo que você pode fazer agora é ficar bem firme e tentar permanecer aberto para onde quer que o vento te leve depois.”

0 comentários:

Postar um comentário