31/03/2013

9x19 - Can't Fight This Feeling - Review

BY nathycalassa IN , 13 comments


Aquela sensação de que num tudo está em seu devido lugar.


Já é “chover no molhado” dizer que a temporada de Grey’s Anatomy segue bem e com assuntos interessantes, embora seja a mais pura verdade. Mais uma vez, ganhamos um episódio muito bom e que segue uma temática bastante curiosa, nos mostrando como o instinto natural ou aquele sentimento incômodo que não quer passar pode ser muito mais do que simples “neura”.
Isso se refletiu para dois personagens, principalmente: Meredith e April. No caso de Kepner, os problemas amorosos continuam em alta e ela sabe muito bem que ainda gosta de Avery, mas insiste em ir contra a corrente.  Nesse episódio ela pôde perceber isso muito mais claramente, quando teve por perspectiva a história do casamento de uma de suas pacientes, o que a fez acreditar que ela e Avery devem estar destinados a ficarem juntos, porque são muitos anos de amizade e nem mesmo as situações mais bizarras puderam destruir o laço entre eles. Só que justo agora o paramédico começa a pensar que existe amor nesse relacionamento novo e April fica numa sinuca de bico. Acho que não vai durar e que ela vai correr atrás de Avery o quanto antes, mas conhecendo bem o estilo da série, eu apostaria que o paramédico vai perceber que está sobrando na semana que vem.
Com Meredith a coisa pegou o sentido do instinto maternal e esse já foi um grande problema para ela, que sentia a incapacidade de cuidar de uma criança, antes de Zola chegar e mudar o rumo da história. Essa experiência de mãe que coloca o filho acima de tudo fez boa companhia para a participação de Sarah Chalke, em mais um caso que emociona com facilidade. A reação de Meredith a tudo isso, pedindo ajuda de Bailey para saber sobre o Alzheimer é ainda mais forte e mostra que ela se transformou em mãe, naturalmente. E numa mãe muito diferente da que teve, por exemplo.
E com os instintos maternos rondando a área, eis que a vontade que Owen sente em ser pai continua evidente. O assunto deve volta r depois que vimos seu envolvimento com o garotinho que precisa esperar pela recuperação dos pais. Vale notar que Owen não demora em questionar as escolhas de Cristina no tratamento do pai do menino. No fundo ainda existe alguma mágoa aí e não sei se é bom que mexam novamente nesse vespeiro, especialmente agora que a série segue tão bem e com novos dramas. Assuntos velhos deveriam ser esquecidos.
Um pouco desse sentimento paterno vem de Derek com os internos, ou pelo menos com Shane, que logo se incomoda pela habilidade motora de Brooks ganhando destaque e a atenção de seu mentor. Fico na esperança de que a rivalidade infantil que nasceu daí seja bem utilizada para o lado cômico da série, que anda muito bem amparado. Falando em rivalidade, não dá para esquecer de Karev e sua rixa com o “babaca da obstetrícia”. Tudo bem que existe ali o recalque por causa de Jo, mas Karev parece ser um dos poucos a enxergar o quanto esse cara é idiota e individualista. Não aguento mais Stephanie surgindo para liberar a lista de “vantagens” do concorrente de Karev, para ser bem honesta. Aliás, ela só tem feito isso mesmo e poderia ter morrido quando o paciente coberto de gasolina foi fumar um cigarrinho. Tem que saber aproveitar esses plots para se livrar dos pesos mortos.
Apesar de não achar muito necessário o momento de desabafo para Callie (desculpem, ela já teve VÁRIOS desde o começo da temporada) entendo a intenção de encerrar certos assuntos para a personagem. Provavelmente, Callie é uma das figuras que mais sofreu nas mãos da ‘showrunner que não deve ser nomeada’, levando em conta que ela seria uma das favoritas, segundo dizem. E agora também é época de respirar fundo e esperar para que o final da temporada não seja um total desastre, ou melhor, MAIS UM DESASTRE. A essa altura só quero que Grey’s Anatomy continue se destacando positivamente, sem sobressaltos e mudanças bruscas de direcionamento.

Escrito por: Camila Barbieri | Fonte: Séries em Série

13 comentários:

  1. Vi em Can't Fight This Feeling uma entrada na 10ª Temporada. Penso que, faltando cinco episódios para o encerramento desta maravilhosa 9ª, Shonda prepara o terreno para, segundo se especula, o final de GA, voltando toda a atenção para os pioneiros
    do show. Meredith e - o que será que Bailey vai descobrir - um resultado
    positivo para ela desenvolver Alzheimer ou algo desconhecido para Zola? Seja
    qual for, deverá ser (imagino) o plot central da 10ª.

    Também percebi a paternidade de Owen voltando a aflorar com a proteção ao pequeno Ethan, que chega a extrapolar o lado profissional, quando discute com Cristina o melhor procedimento para o pai do garoto. Também concordo que retomar essa discussão será uma tremenda chatice, uma vez que no decorrer da temporada o que foi passado para o público foi que as diferenças entre Crowen – a traição dele
    e a negativa dela em ter filhos – foram superadas.

    Espero que Shonda não espiche o plot de Kepner e sua dúvida entre Avery e Mathew, pois ela quase chega a ser importante para a série quando atua apenas como médica.


    Quanto à Alex, realmente, acho forçado uma relação amorosa com a Jô. Como já disse antes, não consigo ver liga nos dois personagens. Fica parecendo aquela história, não tem tu, vai tu mesmo.

    E, finalmente, Callie e Arizona voltaram a ser Calzona, com a cumplicidade e o companheirismo do início da relação, fechando com a linda declaração silenciosa de amor, quando Callie fala da sustentabilidade na hora em que tudo desmorona. Achei um tanto solta a história dela e sua eterna insegurança em falar para uma grande plateia e, imperdoável, a confusão de datas entre o acidente que quase a matou e o que quase matou sua esposa (há, entre um e outro, pelo menos dois anos de diferença). Mas, independente disso, um final de temporada muito digno para o casal, que venceu todos os desafios e superou o ódio, o rancor e a baixa autoestima com a amputação. Entretanto, com tudo acertado, espero que Shonda não desapareça com elas nos episódios finais.

    ResponderExcluir
  2. Bruno Martins31/03/2013 17:35

    Tem como não amar a Brooks? tirem os outros 4 internos mais deixem a brooks. Ate o Derek se rendeu a velocidade e ao carisma dela.

    ResponderExcluir
  3. Mais uma vez chorei rios de lágrimas equivalentes à um ano.
    Como não se emocionar com o caso da mulher grávida que dá a luz ao seu nenêm, porém não resiste e deixa o marido só, sem aparo.
    Fiquei muito sentida com esse caso e deu pra perceber que April ficou sentida também.
    Apesar da saudade imensa das primeiras temporadas, gostei bem deste episódio. Já fiquei feliz com o início dele. Sinto muita falta da conexão de MerDer como um casal. Eles andam muito separados.. Gostaria de vê-los mais juntos dentro e fora do hospital.
    Li um comentário abaixo que esclareceu o que eu achei do episódio. Este foi exatamente o marco que define alguns temas de próximas histórias da 10° temporada. O que me chocou muito foi a história do mapeamento do genoma. Todos estavam em cima de Bailey, mas eu, enquanto assistia, não imaginava que Mer iria pedir à Bailey que mapeasse seu genoma devido a possibilidade de futuramente o Alzhaimer, aquele que nos apavorou por muitas temporadas, surgisse e arruinasse com sua vida. Confesso que tinha esquecido deste assunto, mas quando a cena terminou, fez totalmente sentido. Ficou claro que o assunto do Alzhaimer de Mer vai render.
    Outro assunto será Crowen. Com certeza teremos mais uma discussão sobre Cristina não querer ter filhos. Owen deixou claro para nós que a vontade de ter um filho ainda não passou. Sentimento como esse, afinal, não passa.. O que aconteceu foi que em meio de brigas, acidentes e traumas, Owen colocou seu bem-estar com Cristina na 'frontline'. Porém isso não ficará para sempre.
    Meu coração já dói de pensar que a penúltima temporada de Grey's está no fim. Em breve virá mais uma e depois não teremos mais nosso drama de toda quinta-feira.
    Espero que o desfecho desta temporada seja safisfatório e que nos traga bons ares. Queria que, agora no 'finzinho' de Grey's, a mesclagem das primeiras temporadas, dos primeiros costumes e etc, fossem acrescentados aos novos episódios. Afinal, quem não tem saudades?
    O jeito é aguardar e esperar pelo melhor. Grey's sempre terá aquilo que nos surpreende e encanta.




    P.S.: O namoradinho da Jo é um troxa. Karev está arrebentando como pessoa e como médico. Muito maduro e muito concreto. Adorei!!!

    ResponderExcluir
  4. Eu adoro ver o hospital lotado e essa dinâmica toda com os médicos super dedicados. É muito bacana ver a evolução da Meredith desde o começo da série, como pessoa e se tornando a mãe e profissional super fodona que ela é agora. Gostei de ver Jackson e April se reaproximando e acho que o lance do ciúme do Alex em relação a Jo já está ficando uma história arrastada e até meio chatinha.
    Adorei ver a cumplicidade de Callie e Arizona de volta, com o apoio que uma sempre dá a outra, mesmo considerando o lapso dos roteiristas no discurso da Callie, quando ela diz que teve um ano ruim ao citar os dois acidentes, de carro e avião, como se ambos tivessem acontecido no último ano. Entendi que a intenção era falar que os dois causaram consequências ruins, mas no acidente de carro ela estava grávida, portanto faz dois anos, idade da Sofia - como foi citado no 9x13.
    Espero que não voltem a insistir na história de Owen querer ter um filho; prefiro ver Crowen separados a ver uma Cristina Yang desvirtuada só para satisfazer o desejo do parceiro.
    Acredito que agora já podemos dar por encerrado o plot da queda do avião e suas consequências e esperar o que nos aguarda na décima e provável última temporada. Mas com essa calmaria toda das últimas semanas, fico me perguntando o que Shonda está preparando de drama agora que faltam só cinco episódios para o fim dessa temporada perfeita...

    ResponderExcluir
  5. Verdade que a parte de Callie sobre os acidentes foram um pouco fora do contexto mas até se entende ela tem essa coisa com o publico que eu nunca entendi já que ela me parece tão desinibida, a cena é que ela tentou tornar o seu discurso interessante falando que a cartilagem é aquilo que sustenta o nosso corpo, quando tudo desmorona.

    ResponderExcluir
  6. Tb gostaria que neste fim tivessemos um retorno sutil as primeiras temporadas.
    Revi um episódio, do início da 2ª temp, em que a Izzie e a Mer chegam irritadas com o Alex e Derek, respectivamente, e deitam na cama do George, tendo ele que acalmá-las. Essas cenas eram demais!

    ResponderExcluir
  7. Mas isso é um tanto impossível.
    Para começar já não há nem Izzie nem George.
    Depois as personagens cresceram e nunca voltariam ao que eram dantes (tequilla e amuos com os namorados). As personagens agora estão noutra, se voltasse a ser como era dantes, era 9 temporadas jogadas no lixo.
    A Mer nunca iria voltar costas ao Derek, agora, caso se chateassem, falavam como adultos e ainda por cima têm a Zola e um menino a caminho.
    Percebo a nostalgia de ao vermos temporadas anteriores, as saudades de isto ser assim e assado, mas se Grey's Anatomy voltar a ser o que era, é simplesmente para gozar com quem andou este tempo todo a seguir a série. Alguns poderiam ficar satisfeitos, mas outros que vêem mais além de quando só tequilla e afins não, pois a série evoluiu como já tinha referido.


    Quanto ao Alzhaimer não me admirava nada que a Shonda nos desse uma 10 temporada e última, com a Mer a lidar com a doença e esta a manifestar-se rapidamente!

    ResponderExcluir
  8. Para mim, o que me chateia mais neste momento é o tempo de antena a mais que a April e o papo de Deus (e por arrasto Avery) estao a ter. A personagem sempre foi secundaria , é chata (e isso nao consegue mudar por muito humor cristao que tentem botar na personagem). E depois, é tambem o tempo extra com os casos dos pacientes! Eu sei, que essas historias sao importantes em Greys, como metaforas sobre a vida dos protagonistas mas, bolas, precisa mesmo de ter 4 ou 5 historias por episodio?? Corta tempo importante a quem realmente interessa, e o que dá sempre aquela sensaçao que as coisas nao avançam...

    ResponderExcluir
  9. Muita maldade da shonda fazer a Mer ter alzhaimer... ela pode nao ter o gen, já q o pai dela nao tem... rs... eu to meio desanimada com greys... nao consigo me empolgar mais, tá quase uma "série qualquer"... 5 episódios pro final e eu sinto falta do Mar k e da Lexie... to achando essa temporada péssima, a pior q já assisti... odeio os internos novos... o papel da baily, o do Richard está apagado... to detestando!!!!!

    ResponderExcluir
  10. Olha discordo viu, o Karev está extremamente chato e imaturo nesses últimos episódios. Shonda está cagando com o personagem ao insistir em uma trama amorosa com a insossa da Wilson.

    ResponderExcluir
  11. Juro que se a Shonda me fizer o Karev acabar com a Wilson vou ficar extremamente decepcionado. Eles não combinam, todo mundo vê isso menos a Shonda.

    ResponderExcluir
  12. verdade... assisti de novo (passou na Sony), aff... tava melhor ele sozinho, adulto, um médico maravilhoso do que ele agora com a chatilson... rs...

    ResponderExcluir
  13. Quanto à Alex, realmente, acho forçado uma relação amorosa com a Jô. Como já disse antes, não consigo ver liga nos dois personagens. Fica parecendo aquela história, não tem tu, vai tu mesmo. [2] exatamente isso.

    Adoro o Alex, mas a Jô nah!


    Episódio gostoso de assistir.


    Alguém saberia me dizer o nome das músicas que tocaram? Não estão mais atualizando essa seção no site :(

    ResponderExcluir