17/12/2012

9x09 - Run Baby Run - Review

BY Karina IN , 13 comments


A noiva mais feliz do mundo.

Fechando 2012 com casamento destruído e gente cuspindo sangue, Grey’s Anatomy prova que consegue se recuperar depois de grandes baques, mas também que tem gente (não vamos citar nomes) na equipe de produção que adora uma boa tragédia. O comentário não é reclamação, é constatação, inclusive, porque, no geral, essas nona temporada tem sido de muito mais acertos do que erros.

Esse episódio de encerramento foi muito bom e deixa um cliffhanger bom, embora já previsto. Há semanas que circula a notícia de que um “personagem muito querido” ficaria à beira da morte ou morreria. Foram poucos os que não pensaram no nome de Adele, que não sei nem se é tão querida assim (na verdade, Adele nem faz diferença na atual trama da série), mas a gente finge que sim, para não contrariar a pessoa cujo nome não citarei para não azarar a entrada do novo ano de Grey’s Anatomy.

Apesar do final com Adele vomitando as próprias tripas, o que tira Bailey de seu caminho certo para o altar o episódio exala bom humor e momentos bacanas para muitos personagens. Aliás, confesso ter gostado desse desfecho para o casamento natalino de Bailey, que já não queria nem fazer as unhas e só precisava de uma boa desculpa para fugir, afinal de contas. Bailey é quase a noiva em fuga do Seattle Grace, mas aposto que depois de tudo ser esclarecido ela vai se casar num post-it ou coisa assim.

A verdade é que todo o estresse de Bailey foi divertido. Todo mundo feliz pelo casamento e ela, a noiva, completamente contra a ideia de aproveitar esse momento. Chandra Wilson mandou bem, especialmente na cena em que Kepner avisa que por motivos de Avery não poderá atender ao evento. Cada conversa com Callie ou mesmo com Richard valeu a pena e adorei essa nova técnica de convidar damas de honra: basta proibir a mulherada de sentar e pronto.

No começo da temporada, quando começamos com o drama de Arizona, a atriz já havia avisado que essa trama era sobre amor e sensualidade e não sobre gente perneta. Demorou, mas parece que chegamos ao ponto em que Callie dá um basta no chororô e faz Arizona notar que a vida continua. Aliás, uma dica boa: não poder usar salto alto é uma dádiva, não um problema grave. Por isso é que gosto de Callie cada dia mais. Ela sempre surge com comentários pontuais e uma ironia bacana, mesmo que isso demonstre que ela passa por uma fase de amargura.

É legal notar que Callie está em muitas histórias ao mesmo tempo. Além da convivência com Arizona, ela tem estado próxima à Bailey e continua no comando da cirurgia de Derek, que continua muito bem dosado, ao lado da gravidez de Meredith. Vale ressaltar a presença de Neve Campbell, mais uma vez. As conversas honestas dela com Meredith serviram para aproximar a família, sem dúvida. Tomara que a mão de Derek fique boa novamente e eliminemos mais uma das consequências da queda do avião.

Outro assunto relacionado é o divórcio de Cristina e Owen. Engraçado como sempre que os dois voltam a ficar juntos é numa cena de olhar fixo seguido de agarração. Gosto dessa resolução e também gosto de ver que a relação de Meredith e Cristina, embora ainda forte, vai deixando de ser tão absurdamente dependente. Do jeito que era antes seria difícil para qualquer uma delas manter um casamento, essa é a verdade.

Dei bastante risada com Kepner ciente de que é muito sedutora num vestido ‘tomara-que-caia’. O arranjo dela e Avery, obrigando os novos internos a ir ao casamento como escudo foi bem absurdo, mas de um jeito bom. Também é um modo de aproveitar melhor esse elenco de novatos que, tirando o episódio passado, ficam só andando e recebendo ordens. April, ao que tudo indica, vai ter concorrência na briga por Avery.

O interesse de Karev por Wilson é tão óbvio que nem dá para culpar o pessoal por fazer piadinhas. Ele obviamente gosta dela, mas dou um desconto porque também enxerguei ali a tentativa de ensinar. Quando ele e Arizona falam sobre isso fica bem claro que Karev está querendo formar bons médicos, mas deu uma escorregada no método, por ser novo nessa função. Não nego que achei Wilson muito errada em denunciá-lo daquele modo, sem antes tentar entender o acontecido e sem esfriar a cabeça. Pelo menos, a briga entre eles só faz aumentar a tensão sexual o que nos dá a entender que, quando Grey’s Anatomy retornar, em 10 de janeiro, os relacionamentos amorosos devem ganhar ainda mais foco.

Escrito por: Camila Barbieri | Fonte: Séries em Série

13 comentários:

  1. definitivamente eu amei esse episodio.. amei a callie dandomc um basta no chororo da linda arizona...e estou detestando a nova mer.. ta muito chata..muito negativa e arrogante.. .. mas continuo amando o casal.... e estou começando a gostar da april..ela estar tento mais destaque na trama ta sendo legal... enfimmmmmmmm eu amooo essa serie.. nao vejo a hora de chegar dia 10.. pra ver oq acontece apos. o casamento desastroso.

    ResponderExcluir
  2. Ao contrário de Shonda, não acho que Run, Baby, Run tenha sido o melhor da temporada, mas foi excelente.

    No episódio para Beiley, Chandra Wilson se superou. Esteve perfeita em todas as cenas. Do humor ao pânico pelo casamento e a nova vida que ela, de certa forma, imagina, vai se repetir e não quer (re) viver, foi fantástica. Muito merecida a indicação ao prêmio.

    E eu, que sempre odiei Owen Hunt, rendo-me a ele. Melhor cena do epi: Hunt e Yang após a cirurgia, quando discutem sobre os motivos do divórcio. Por trás da casca grossa existe um homem sensível, sofrido, carente.... uma alma humana.O drama de GA, nesse 9º epi ficou por conta dele. Fantástico. E emocionante. Arrepiei do início ao fim.

    E Run, Baby, Run mostrou mais uma vez porque Calzona é um casal adorado e tão forte no show. Callie e Arizona mostram que viver numa bolha cor-de-rosa é possível. Basta saber falar e saber ouvir. Sempre foi assim. Uma completa a outra. Juntas, se equilíbram. O verso e o reverso. O côncavo e o convexo. Quando uma fala, a outra escuta. Processa, age e transforma.

    A cena que deu a Sara Ramirez o destaque da semana da TV Line foi perfeita e simboliza muito bem isso. Como palavras bem ditas na hora certa fazem toda a diferença na vida de uma pessoa (se ela estiver disposta a ouvir com o coração, claro).

    Já disse algumas vezes que a dificuldade em Calzona está justamente na falta de comunicação entre elas. De não conversarem sobre os problemas que enfrentam e sempre jogar pra debaixo do tapete o que pode estragar a relação, entretanto, após o acidente, parece que isso vem mudando. Callie tem sido dura em momentos decisivos que têm ajudado Arizona a dar a volta por cima no que se refere à amputação. Não há que se negar que, nessa relação disfuncional, uma ouve o que a outra diz.

    Durante toda a relação Calzona, Ari sempre foi a que teve as palavras certas para Calli e, nessa 9ª Temporada, Callie está sendo a responsável por trazer AZ à realidade e se aceitar na nova condição. (é um serviço público você ficar mais baixa? Insuperável)

    E que irmã é essa do Derek? Linda. Podia continuar na série para tentar fazer de Meredith uma pessoa melhor, menos azeda. Menos egoísta. Menos egocêntrica. Menos individualista. E Derek também. Olha que eu gosto de
    MerDer, mas o casal tem sido repetitivo demais. Isso cansa.

    E, sinceramente, mais uma vez citar Lexie e não falar da morte de Lexie? Não consigo entender. Lexie não foi uma personagem qualquer em GA. Ainda acho que falta o fechamento para ela. Digno.

    Finalmente, Derek aceitou se operado com os nervos da irmã e tomara que volte à OS logo, porque acho que esse plot não foi muito bem sucedido e não acrescentou nada ao show.

    Alex, para mim, é uma incógnita do que Shonda quer da personagem desde a temporada passada. Perdido. Sem rumo. Oscila entre a maturidade e o adolescente rebelde. Não fica nem bem para um médico que já passou dos 30. Triste.

    Quanto a Japril e internos.... sem comentários, senão, eu que estarei sendo repetitiva.

    ResponderExcluir
  3. de cara notei que ia ter um caso entre o Karev e a Wilson,e adorei,porque a gente vê que vai ser diferente,não é uma peguete dele,e pra mim,nenhum dos dois ainda "sabe o que sente pelo outro,vai crescer aos poucos,achei legal dar um romance digno pro Karev,tô ansiosa pra ver eles juntos

    ResponderExcluir
  4. Concordo com tudo! Eu não diria melhor.

    ResponderExcluir
  5. Eu to amando Karev e sua ~paixão~ pela Wilson... Nada que se compare a Mer e Derek maaaaas até que estão bonitinhos demais. Formam um belo casal

    ResponderExcluir
  6. Karev tem 29. Só pra constar :)

    ResponderExcluir
  7. Que seja. Idade suficiente para agir como homem.

    ResponderExcluir
  8. Com certeza esse ep fechou o ano muito bem *-*
    Ficou todo aquele suspense sobre o casamento, o relacionamento de Crowen e a cirurgia do Derek que eu espero de verdade ótimos resultados. Ele é muito forte e determinado e sinto falta de ver toda aquela garra dele em salvar casos perdidos.

    Adorei ver a Meredith se desligando um pouco dessa amizade com a Cristina e se dedicando mais à família. Muito legal da parte dela contar para a irmã do Derek..

    Agora sofrer até chegar o dia 10 e ficar reassistindo o sneak peek kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  9. as review que povo posta nos comentários são melhores que a do post rsrsrsrsr só que não

    ResponderExcluir
  10. Acho que Sandra vem roubando as cenas há muito tempo na série,e agora a Sara também,ver a Yang mais humanizada é bem legal,acho Yang e Callie as personagens mais bem trabalhadas na série. Adorei as cena dela com o Owen no lavatório e a do beijo,a gente nota um amor verdadeiro entre os dois,mesmo que conturbado.E Callie com o discurso realidade/comédia,mesmo quando era pra ela estar pra baixo,ela se mantem, pra ajudar a Arizona e à ela mesma.Só não gostei do jeito que a Mer tá sendo trabalhada,que isso de não se aproximar da família do Dereck? Porque ela não teve uma família estruturada?Não é desculpa,ela que desejou sempre ser mãe, não quer tias,primos...pra Zola,e agora(talvez)para o outro filho? Acho que ela tá sendo construida de um jeito muito orgulhosa na série, como na cena que ela nem olha para o ultrassom,mas essa distância da Yang vem muito bem vinda,a dependência das duas era irritante(e as cenas que a Yang dormia no meio dela e do Dereck? Não dá!).


    Eu gosto bastante da amizade da Bailey e do Weber,mas não adorei ela não ter ido ao casamento dela,a Bailey parece viciada em trabalho,e até quando os outros presicam dela(o noivo,os pais),ela dá preferência ao trabalho.



    A Kepner é uma personagem tão,mais tão chata pra mim,junto com os internos que entraram,que nem tenho o que falar.E prefiro outra pra ter caso com o Avery,ele não é lá um adulto,mas merece uma companhia mais agradável.


    Sempre adorei Karev,mesmo com o jeito orgulhoso e tapa na cara dele,não amo a Wilson,mas acho que é momento de dar um romance que dure até o fim da série pra ele,se for com ela,vá. É adorável ver ele se apaixonar pela Jo aos poucos,e o encontro pra ir no casamento foi legal,quero que acontece alguma coisa mais entre eles nesse encontro que não esperavam.


    Não adorei nem odiei esse episódio,achei mais do mesmo,Grey's precisa de alguma coisa diferente pra sustentar outras temporadas.

    ResponderExcluir
  11. Necessito das músicas desse episódio, rsrsrs!

    ResponderExcluir
  12. Só 29??? Achi q ele tinha mais....

    ResponderExcluir
  13. Néh!!! Acho que a Mer é mais velha. É pq a Cristina fez PHD e a Mer passou um tempo na Europa e tals. Ele saiu da faculdade direto pra Residencia :D

    ResponderExcluir