06/02/2012

Review: 8x13 "If/Then"

BY Milena Pais IN , 8 comments


E se Ellis Grey não fosse uma vadia controladora?

Estou em pé e batendo palmas para titia Shonda Rhimes. Não apenas alcançamos a marca de treze bons episódios como ainda sobrevivemos à maldição do 13º (que eu inventei na minha cabeça, é claro), ganhando de presente um excelente filler, feito para rechear de alegria o coração dos fãs de Grey’s Anatomy.

Fiquei um pouco tensa, achei que não iria aprovar essa viagem ao universo alternativo, mas estava completamente enganada. Foi bom e divertido, para dizer o mínimo. A boa notícia para quem não curtiu é que esse episódio não interfere em nada na temporada. Finja que ele não existe e siga contente. Não vi, até agora, alguém que não tenha entrado na brincadeira proposta pela série, mas sei que essas pessoas devem existir. Não fiquem bravas, apenas ignorem.

Como estou no grupo dos satisfeitos, resta elogiar a criatividade e essa quebra na nossa rotina. Todo mundo já se fez esse pergunta na vida: E se? Eu sei que já fiz e fiquei imaginando como seriam as coisas se outras decisões tivessem sido tomadas. O que Grey’s Anatomy fez, foi viajar nessa proposta, mostrando como seria o Seattle Grace se Ellis Grey tivesse sido uma mãe melhor, mesmo que ligeiramente.

Foi muito bom ver Meredith toda trabalhada na vidinha cor de rosa, quase como uma princesinha que teima em não seguir as instruções da rainha mãe. Ellis Grey como chefe do hospital, intimidando a equipe e a família. Só mudou o fato de que ela não deixou Meredith tão abandonada e formou uma família com Richard. Estranhíssimo ouvir o nome Meredith Webber ecoando.

Aliás, Meredith pode até ser a princesa desse castelo, mas é muito subestimada. Estigmatizada por ser filha de uma lenda da medicina e mais ainda por não ter forças e ganhar as coisas por mérito próprio. Ela aprende, no entanto. Depois de usar o nome da mãe para dividir a cirurgia com Cristina ela sai da zona de conforto e arrisca tudo para salvar a vida de Lexie, ou Lucille Ball, como ela disse se chamar.

Lexie foi uma das melhores coisas do episódio. Apareceu pouco, mas marcou com sua rebeldia e seus traumas de família. No final, teve um encontro dramático com Sloan e aí, fica por conta da nossa imaginação. Adorei ter essa visão diferente e que, ao mesmo tempo, deu a ideia de destino. Ficou certo na minha cabeça que o rolo de Sloan e Addison não daria certo e que a menina que ele quase atropelou o tiraria dessa confusão com a esposa do melhor amigo. Ou algo assim.

O casamento de Derek (McChato) e Addison iria pelo ralo, cedo ou tarde e ele, também sofrendo de falta de ousadia profissional, finalmente teria seu encontro com Meredith, naquele bar. O mesmo vale para Cristina e Owen (e Meredith, porque não dá para escapar de grandes amizades!). Ela muito temida e sempre sozinha desde o caso com o chefe da cardiologia (lembraram de Dr.BURKE!) ajudava o colega com traumas de guerra porque o amava, mesmo ele sendo casado com Callie e tendo TRÊS filhos. Ok Owen? Três está bom para você ou vamos encomendar mais meia dúzia par te deixar satisfeito na realidade C de Grey’s Anatomy?

Realmente achei bizarro esse casamento de Owen e Callie. Talvez a situação mais fora de contexto de todas, mas que acabam com olhares entre a esposa insatisfeita e Arizona. Outra coisa ótima foi ver que EU ESTOU CERTA e existe tensão sexual entre Karev e Kepner. Quem ainda acha que Kepner tem algo com Avery pode começar a esquecer. Shondinha acaba de provar minha impressão.

Nesse mundo paralelo também não houve o grande tiroteio no hospital e aí, Kepner teria até a opção de ficar com o colega grandalhão (esqueci o nome dele mesmo) em vez de se atracar com Karev, nessa versão meio “livro de auto-ajuda” que me assustou muito.

Teve até menção à Izzie (A LOUCA que teve um caso com um paciente e foi denunciada por Meredith) e O’Malley (O 007, que desistiu depois de reprovar). Bailey então, estava estranha na versão Natzi rastafári sem voz ativa. É por aí que a gente vê o estrago que uma personalidade corrosiva como a de Ellis pode fazer.

Nem mesmo Bailey pôde manter sua força e teve de seguir carreira longe dali. Richard igualmente. Um homem centrado, mas sem forças para lutar contra o domínio da esposa. No fim das contas, nem Ellis era de todo ruim. Fica óbvio que ela era uma mulher que impunha níveis impossíveis para si mesma e para os outros, sofrendo as consequências disso tudo. Ellis estava condenada, de certa forma, mesmo sem sofrer com Alzheimer.

Depois de presenciar isso tudo, cheguei a uma única conclusão: O interessante foi a mensagem. Não importa quando e como, as coisas que tem de acontecer vão acontecer. A essência da sua vida não muda, mesmo que os caminhos trilhados fujam do convencional.

Escrito por: Camis Barbieri
Fonte: Séries em Série

8 comentários:

  1. Achei mega legal que chegar no final e as coisas ficarem onde deveriam realmente estar... Derek e Merdedith no bar se conhecendo... Voltaram ao ponto que deu inicio a tudo!!! Ou seja, a vida da voltas mas o destino é sempre o destino!!!! Achei fofo!!! =)

    ResponderExcluir
  2. Esse episódio foi muito bom.

    Achei muita piada quando quase no final, o Hunt vai dar um beijo à Callie em frente à Yang e, a Callie faz uma cara tão estranha, do tipo uhh que nojo.

    ResponderExcluir
  3. Dralexkarev06/02/2012 14:19

    Episódio legal!!!
    Mas April e Alex = NOJO, não combinam, não tem química, nada nada! Nenhuma outra mulher que não seja a Izzie da certo com ele!
    Gostei muito que citaram Izzie e George, bem que eles poderiam participar né?
    e a Reed? Cadê? kkkkk Nem apareceu também!
    Rumo ao 8x14!

    ResponderExcluir
  4. não assistir ainda,mais pelo jeito e opinião de vcs foi o máximo.

    ResponderExcluir
  5. @lorenalims06/02/2012 14:59

    Alex e April nooooo

    ResponderExcluir
  6. Foi um episódio incrível! Mostrou que a essência dos personagens é tão forte que, mesmo em uma realidade totalmente diferente, no fundo, tudo e todos convergem para o que eles realmente são e para o que sentem uns pelos outros!
    Foi um episódio construído de uma forma muito inteligente e perspicaz pela Shonda! Ameei! :)

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito do ep e da Review. Achei muito estranho o Alex com a Meredith e você tem razão ele estava assustador! Sempre achei que ele e a April ficariam juntos também... Ele tem que ficar com alguém, né? E que não seja a Izzie, POR FAVOR! Só não gostei dessa ideia de destino, acredito que o que conta são as escolhas que fazemos a partir da nossa essência individual. Shonda arrasando mais uma vez! É o que eu digo, nunca duvide dela...

    ResponderExcluir
  8. adorei o ep. embora pensei que iam mostrar dessa vez a Callie tendo uma atitude com Arizona, já que foi a loira que deu o primeiro beijo, Meredith e Alex nada haver, Alex com April ficou legal...rsrs... Lexie drogada e foi notorio que ela e o Jackson tiveram uma pequena queda um pelo outro, mas ela só combina mesmo com o Mark, Ellis querendo ser sempre a maioral e Webber sendo compreensivel e um bom pai, show de bolo... Yang me deu medo kkkkkkkkkkkkk... adorei o episodio e estou contando os dias para o 8x14 e sucessivamente...kkk

    ResponderExcluir