26/02/2012

8x16 - If Only You Were Lonely - Review

BY nathycalassa IN , 6 comments



A difícil tarefa de encarar a verdade.



Continuando a boa safra de episódios, Grey’s Anatomy traz um episódio em que drama e humor foram perfeitamente balanceados. Mais uma vez, Shonda Rhimes prova que é possível levar uma série com oito anos de estrada por caminhos interessantes e um deles foi especialmente trilhado para Richard Webber.

Nos tempos de Chief ele tinha que lidar com os problemas do hospital e deixava o casamento sempre em segundo plano, mas desde que Adele foi diagnosticada com Alzheimer a coisa mudou um pouco. O caminho natural do personagem é mesmo o desse sentimento de culpa. Richard quer fazer valer agora o tempo que perdeu, mas agora, por mais que ele esteja disponível e disposto, Adele tem muito pouca ou nenhuma noção do que está acontecendo.

Ela, que ainda tem lá seus momentos de lucidez, sofre sem entender muito bem o porquê. Richard, por outro lado, passará longos anos se martirizando por perder bons momentos com Adele e por não ter feito diferente. Isso é tão claro que, quando Meredith tenta ajudá-lo ele ainda está em negação. Mesmo Adele, com sua mente deteriorando, é capaz de notar que é chegado o momento dela receber cuidados especiais, antes que algo grave aconteça.

Sei que esse pode até parecer um plot bobo e óbvio, mas ele dá certa profundidade à trama dessa 8ª temporada e cabe perfeitamente com a história dos personagens. Em outra direção temos o desespero de Cristina, que deixou a crise no casamento dominar sua vida, inclusive a profissional.

Fiquei com pena dela, tão obcecada em enxergar traição onde pode não haver nada, travando uma luta mental entre seu coração e a lógica. Cristina está apavorada em perder Owen e nessas horas, imagino se ela não será capaz de ceder aos desejos dele de ter filhos, embora eu acredite que o casamento deles esteja mesmo para acabar. Owen demonstra frieza e tenta evitar contato com a esposa e, no momento em que os dois tentam salvar a relação, esse tipo de comportamento não é bom sinal.

Já que entrei nesse assunto, vale lembrar que a rival (imaginária, por enquanto) de Cristina é Emily, interpretada (no mudo) por Summer Glau, figurinha carimbada em produções de ficção cientifica e musa dos nerds. Como nunca leio spoilers, não sei se existem planos para que Owen e Emily realmente se concretizem, mas meu amor por Cristina me obriga a desejar que isso não aconteça.

Por outro lado, tantas pressões podem fazer Owen sucumbir. São traumas de guerra, desejos não realizados, frustrações e a agressividade de Teddy, que não encontra limites. Callie foi certeira ao afirmar que está na hora de Owen colocar fim a tudo isso e não apenas por questões pessoais. Ele é o chefe, precisa impor respeito e além do mais, Teddy demonstra não ter condições de trabalhar. Exemplo disso foi a reunião dela com os diretores do Seattle Grace Mercy Death, em que ela mostrou estar fora de órbita.

Outro bom drama se desenvolveu com Karev e o bebê prematuro de Morgan. Foi bacana ver que Lexie saiu um pouco do lado de Derek para conhecer melhor o trabalho e as dificuldades da pediatria. Lexie levantou várias questões pertinentes sobre o tratamento médico e as estatísticas, porque afinal, nem sempre os números vencem e no lugar dos pais do pequeno Thomas (mesmo que eu fosse médica) acho que desistir seria uma decisão que sequer seria cogitada. O olhar de Karev para o pai do bebê disse tudo.

À parte disso, muitos momentos de descontração marcaram o episódio e, como sempre, Sloan é o rei da piada pronta. Ri muito dele falando espanhol bizarro com a pequena Sofia, só porque Callie tem origem latina. Além disso, a caçada dele por uma fêmea para Avery foi hilária, especialmente quando ele pede que Kepner “leve uma pelo time”. Acho que ela prefere mesmo uma boa caminhada.

O interessante é que fica declarado que Avery ainda tem sentimentos por Lexie e, do jeito que Sloan está em sua man-crush com o pupilo, é capaz de armar alguma coisa para reunir esse casal. Não duvido de absolutamente nada.

A aparição de Zola, como sempre, trouxe aquela dose de alegria. Sempre lindinha, mesmo quando está completamente descabelada. Não fez muito sentido tanta gente ficar reparando nas chuquinhas da Zolinha, lançando olhares furiosos e cheios de julgamentos para Derek (que começou a pensar em preconceitos raciais sem titubear), mas tudo bem. Eu ri do mesmo jeito quando Bailey deu uma bronca nele e fez um tutorial sobre como pentear Zola para diversas ocasiões.

Escrito por: Camis Barbieri
Fonte: Séries em Série

6 comentários:

  1. episódio perfeito,muito melhor que o anterior
    amei demais *-*

    ResponderExcluir
  2. Pessoalmente achei esse episódio um dos mais fracos desta temporada, apesar de ter achado as cenas da Adele e Richard muito tristes mas muito bem feitas.
    Com esta história da Christina obcecada com a traição (ou não) do Owen com a enfermeira, penso que irá prejudicá-la bastante nos exames.
    De resto viu-se um Alex bonzinho, um Derek paranóico e um Sloan otário como sempre.

    ResponderExcluir
  3. Foi só incrível, só isso.
    Cara,a parte do Chief foi muito intensa, do Chief Webber logico, rs.

    E a Cristina... parece óbvio q ela vai falhar nos testes por causa desse rolo com o Owen né? Babaca.

    ResponderExcluir
  4. u tb penso que a Cristina pode falhar nos exames e isso deixa-me com muita pena porque ela sempre foi uma das melhores no seu trabalho :(.

    ResponderExcluir
  5. Eu peço muito pra que Cristina não reprove nos testes. Ela é tão focada e se esforça tanto. Ok, ultimamente seu foco se dispersou por causa da sua relação super instável com Owen e a sua preocupação com a suposta "traição" com a enfermeira, mas mesmo assim eu queria muito que ela não reprovasse. Se isso acontecer, acho que Cristina vai entrar em depressão sei lá por que ela já está tão abalada com o que está acontecendo entre ela e Owen e a única coisa que lhe resta é a medicina e as cirurgias. Sem isso, ela vai ficar tipo "Izzie Stevens" sabe. Em relação ao Chief, cara me corta o coração o que está acontecendo com Adele. Ele está totalmente sem reação e com medo de perde-la pra sempre. Agora que ele consegui um tempo, ela tem Alzheimer e mal lembra de quem ela é. Karev parece estar tomando jeito (será?!). E sim, sempre o Sloan tem que dar aquela pitada de "happiness" nos ep's. Ele falando em espanhol foi literalmente ilário. Derek, papai fresco, deixou Zola totalmente descabelada mas foi muito lindo as cenas onde ele aparece com ela no colo, mostrando ser um pai super carinhoso e atencioso. Grey's tá tomando um ritmo interessante, mas eu ainda acho que acontecerá algo com MerDer. Tá tudo muito calmo e muito pacífico. Enfim, o ep foi incrível!. Tia Shonda impressionando-nos cada vez mais. *-*

    ResponderExcluir
  6. Eu não sei se sou pouco exigente ou os outros são perfeccionistas, mas o fato é que adorei o episódio! O drama do Chief Webber é uma lição que a tia Shonda nos dá: é preciso viver o presente, pois não sabemos o dia de amanhã, Chief Webber priorizou o trabalho em detrimento do casamento, agora vai viver um inferno de arrependimento. Não digo que ele mereça isso, ninguém merece, mas temos que saber muito bem as consequências de nossos atos e escolhas. No mais, foi aflitivo ver aquela mão presa no moedor de carne!

    ResponderExcluir