20/02/2012

8x15 - Review

BY Grey’s Anatomy IN , 6 comments

Slavery versus Bailey.

Todo mundo já sabe que e já faz coro: Grey’s Anatomy fez mais um episódio bacana, mesmo com mais um crossover absolutamente desnecessário com Private Practice. Pois é. Um recadinho para Tia Shonda: ninguém mais agüenta isso. Leve suas séries separadamente, porque eu não estou nem aí para o drama de viciada da McIrmã.

Como já deu para notar, eu realmente não sou fã da série da Drª Addison e não aprovo a quantidade de episódios em que as duas séries se cruzam. Se fosse importante ou acrescentasse alguma coisa eu sequer reclamaria, mas não. Só fazem isso porque acham que é legal misturar duas produções da mesma criadora.

Aproveitando que já estamos no assunto, a aparição de Amelia foi bem sem graça, principalmente em sua interação implicante com Derek. Até que gostei das conversas entre ela e Little Grey, que tiveram um tom mais de humor, mas foi só. Fora isso, nada se aproveita.
Já que estou na parte das críticas, lá vem mais uma. Gostei do episódio e acho que ele muitos pontos positivos, mas algumas coisas me incomodam um pouco. Estou falando de Alex Karev e da pasmaceira que se transformou o personagem.

Desde a 1ª temporada de Grey’s Anatomy é a mesma ladainha. Karev é mauzinho, Karev tem crise de consciência, Karev fica bonzinho. Podem reparar, é um ciclo que se repete, repete e repete. Karev, obviamente, não evolui dessa forma e se tornou cansativo. Até que hoje em dia ele não é metade do babaca que era no inicio, mas mesmo assim, o lance com a interna grávida, cujo nome ele sequer sabia, foi mais uma rodada desse ciclo.

Mesmo eu não tendo problemas com a trama em si, que coube bem na proposta da jornada de estudos para os testes que vem aí, eu gostaria muito de ver Karev melhor aproveitado em algo diferente e que fuja da rotina. O personagem merece e nós também.

Um bom exemplo de personagem que vinha numa rotina terrível e conseguiu dar a volta por cima é Meredith. Ela tem funcionado maravilhosamente bem sozinha e longe de problemas românticos. Os impasses profissionais se transformaram num grande atrativo, especialmente quando temos um açougueiro moendo a própria mão na máquina de carne e Callie sendo durona para ser se Meredith agüenta o tranco.
Maravilhosa a ideia de juntar essas duas mulheres que praticamente nunca se encontraram na série e que, pelo visto, tem muito a acrescentar. Richard, inclusive, merece ser elogiado por seu talento cômico. A sequência em que ele aparece para um conversa com Callie sobre sua pupila é sensacional. Pessoal da edição mandou bem demais.

Outra coisa boa foi, é claro, Sloan e Avery enfrentando a fúria de Drª Bailey. Eu até esperava algum desenvolvimento com relação à Lexie e ao que ficou em aberto no último episódio, mas o caso médico foi muito melhor. Bailey realmente se transformou numa maluca dentro da sala de cirurgia e eu sabia que ela seria expulsa. Até que demorou muito para Avery tomar uma atitude e colocá-la para fora de modo épico.

O importante é que, ao que tudo indica, esse puxão de orelhas deve renovar a personagem. Bailey é outra que precisa de mais atenção e de alguma história realmente boa, já que a atriz é competente o bastante para levar drama ou comédia.

Falando nisso, já não sei mais como definir a crise no casamento de Cristina e Owen. A sessão de terapia demonstrou algo que, para mim, está mais do que óbvio: eles estão num beco sem saída. Quantas vezes voltamos à ladainha do aborto? Quantas vezes ouvimos Cristina dizer que não vai ter filhos porque escolheu assim?

As acusações são as mesmas, os problemas não parecem ter solução e nenhum deles está disposto a ceder. O pior é que eu me sinto como uma criança vendo os pais se separarem. Eu fico no meio, com os dois brigando e a cada argumento, eu mudo de lado. Concordo com os dois, mas acima de tudo, discordo de ambos.

Escrito por: Camis Barbieri
Fonte: Séries em Série

6 comentários:

  1. "Novo" enredo pro Alex?
    Resposta é essa: IZZIE =) (e seus óvulos fecundados)

    Fim =)

    ResponderExcluir
  2. concordo em gênero, número e grau

    ResponderExcluir
  3. Esse crossover não trouxe nada de novo a GA e muita gente que não vê PP simplesmente não viu o episódio, prova disso foi a muita quebra de audiência (sendo esse de longe o episódio menos visto desta temporada) o que é pena, porque tirando essa parte de PP o episódio até foi muito bom.
    Gosto da Amelia, Charlotte etc mas elas que fiquem na sua série e deixem GA para os seus protagonistas habituais.

    Quanto a GA, espero que Bailey volte a ser um pouco nazi, porque a personagem está irreconhecível, por favor dêem um caso médico decente à mulher em que ela mostre a grande cirurgiã que é.

    Sloan e Avery: façam e digam o que fizerem e disserem acho que Avery é um horrível cirurgião e esta coisa de equipa maravilha não me convence (talvez por não ser fã de nenhum dos personagens e por achar que cada segundo que eles passam no ecrã é uma perda de tempo).

    Outra perda de tempo é Lexie, pergunto-me, ela é uma cirurgiã?? É que não parece, pois ultimamente não tem feito nada de especial sem ser humilhar-se perante o otário do Mark, tenho saudades dos tempos da Lexipédia.

    Callie e Mer: gostei bastante de ver as duas, e ver que a Callie é muito boa professora e cirurgiã, se a Mer ficar com ela passa nos exames de certeza. (Gostei da parte em que Mer diz que podem ser amigas).

    Arizona e Alex: adoro os dois interagindo um com o outro e achei a parte em que a Arizona perguntou ao Alex porque é que ele achava que ela gostava tanto dele encantadora, porque nunca nenhum cirurgião gostou muito do Alex e agora encontrou alguém que o ensina e que gosta dele.

    Por fim Christina e Owen: desta vez fico do lado dela, pois ele sempre agiu com desdém para com ela porque ele pensava que ela ia crescer e querer filhos e não ligou ao que ela quis/quer. Fiquei a perceber é que ele não gosta da amizade dela com a Mer, passado tanto tempo ele ainda não percebe a amizade das duas e tem inveja do que elas têm, aliás acho que ele tem inveja do que Mer e Der / Mer e Christina têm. Acho que o melhor é separarem-se e vamos ver até que ponto esta situação com a Yang a irá distrair dos exames.

    ResponderExcluir
  4. Não consigo ficar do lado dela embora até a entenda até certo ponto. Mulher não é parideira.

    Ele não perguntou a tempo e horas se ela queria filhos, assumindo que mais tarde quando ela amadurecesse iria querer, claro.
    E ela? Perguntou ao Owen se ele queria ter filhos? Ela simplesmente assumiu que ele queria o mesmo que ela.
    Agora, temos de admitir o seguinte facto, embora hajam pessoas que não querem ter filho ( e isso não tem nada de mal) a grande maioria associa casamento a familia e na maior parte associada a filhos. E por isso é que eu acho que a Yang é a grande culpada disto. Não podemos simplesmente crucificar o homem por ter pensado que mais tarde ela viria a quere-los, porque esse é o padrão de comportamento da maioria das pessoas. Não querer ter filhos é que foge á norma e portanto ela deveria ter deixado isso claro no inicio para ele ponderar se ficava ou ia embora. Claro que ela não estava interessada em esclarecer isso porque na altura em que se casaram ela necessitava urgentemente de uma tábua de salvação. Os instintos de autodefesa não lhe permitiram pensar no companheiro e se de facto o iria prejudicar irremediavelmente.
    Acho os dois responsaveis por esta confusão. Mas acho-a de longe, de longe mais culpável.
    Para mim SEPARAÇÂO. Não há mais nada a fazer.
    O que me chateia, é que sendo esta série para meninas a Shondinha está a preparar-se para pôr o pobre do Owen a abdicar do seu sonho de ser pai como prova de amor. Ahhh vá-se matar...

    Quanto ao Karev. Já viram o que fizeram com ele?! Nada! Que falta de imaginação. E o mesmo em relação á nazi. Acreditam que até me está a escapar o nome da personagem de tão pouco que lhe tenho prestado atenção? Conseguiram uns actores com uma presença espetacular, que conseguiram compôr personagens originais para depois os deixarem morrer na praia...

    ResponderExcluir
  5. Só eu que achei que faltou uma cena,nem que seja pequenininha,da Amy conhecendo a sobrinha,Zola?Poxa, ela passou por Seattle e não fez nem questão de dar um xero na Zolinha?
    Gostei das cenas dos irmãos Shepherd.Mer,como sempre,mostrou que é boa em qualquer área.

    ResponderExcluir
  6. Crowen está me matando com essas brigas :((((((((((((((((((((

    ResponderExcluir