11/01/2012

8x09 - O caso médico de Meredith e Alex

BY Milena Pais IN , No comments

Fístula traqueoesofágica
(Escrito pela Meg Marinis, diretora de Pesquisa Médica)


Então, nós deixamos você preocupados, não foi?
Por quem você preocupa-se mais? Meredith e Alex em uma curva extremamente perigosa na estrada? Ou o bebê super doente nos braços de Meredith? Ou ainda pela família sangrando no asfalto após o acidente? E a jovem mãe Laura que está na cirurgia, porque sofreu um rasgo de pericárdio de um parafuso ortopédico? Ou Teddy, que opera Laura sem ter a menor ideia que seu marido acabou de morrer na cirurgia?

Infelizmente não podemos dizer nada, apenas que Meredith e Alex precisam levar a bebê para uma cirurgia no Seattle Grace o mais rápido possível. Eles precisaram transportar o bebê para o hospital, porque ela sofre de um defeito congênito: fístula traqueoesofágica.

Primeiro, vamos esclarecer a diferença entre o esôfago e a traquéia: o esôfago é o tubo que conduz da garganta para o estômago (tubo de alimentação), e a traquéia é o tubo que vai da garganta para a traquéia e os pulmões (tubo de respiração). Durante o desenvolvimento do feto, o esôfago e traquéia começa como um tubo. Em 4 a 8 semanas, após a concepção, forma-se uma parede que separa o tubo em duas entidades distintas. Se isso não acontecer, surge uma fístula traqueoesofágica - uma conexão anormal entre o esôfago e a traquéia.

Bebês com fístula traqueoesofágica necessitam de intervenção imediata, pois o defeito pode causar risco de vida. Por exemplo, quando o bebê tenta engolir líquidos, isso vai passar para os pulmões, causando pneumonia, problemas respiratórios, entre outros. E quando o bebê respira, o ar continua até o estômago.

Sintomas de uma fístula traqueoesofágica normalmente presentes logo após o nascimento:

- Tosse ou engasgo durante a alimentação.
- O vômito.
- Bolhas brancas ao redor da boca.
- Dificuldade em respirar.
- A cor azul da pele, especialmente durante a alimentação.
- Abdômen redondo e cheio.

Se os médicos suspeitam de fístula traqueoesofágica, eles realizarão um exame físico, raios-X do tórax e abdômen e conferir o histórico médico. Além disso, um pequeno tubo pode ser colocado na boca ou nariz e levado até o esôfago.

Esses bebês precisam de cirurgia logo após o nascimento, para que deglutição se normalize e digestão dos alimentos possa ser estabelecida.

Cirurgia sempre depende do tipo de fístula e sua localização, mas geralmente uma incisão será feita no lado direito do peito, de modo que a fístula possa ser ressecada. Então, as duas extremidades da conexão será suturada juntas. Às vezes, a cirurgia deve ser concluída em duas etapas devido à gravidade da doença do bebê. Nestes casos, os médicos colocam uma sonda no estômago dele (chamado de sonda de gastrostomia) para descomprimir o estômago e evitar líquido fluindo para o esôfago, através da fístula, e para os pulmões.

Complicações cirúrgicas incluem em recorrência da fístula, vazamento de conteúdo no ponto de anastomose ou estenose devido à erosão ácida gástrica de um esôfago encurtado.

Fonte: ABC

0 comentários:

Postar um comentário