14 fevereiro 2015

Narração: 11x11 - All I Could Do Is Cry

Tristeeeeee ='(



Narração: 11x10- The Bed’s Too Big Without You




Eles descobriram esse cara no Maine que vivia completamente sozinho na floresta durante trinta anos. Chamavam-lhe o último verdadeiro eremita. Trinta anos sem o calor do toque humano, sem conversa. Mas o eremita se sentiu mais só quando ele estava fora, no mundo, nunca sentia na floresta o que sentia rodeado de pessoas. Se afogando na solidão, esse tipo de solidão pode te engolir inteiro..........O último verdadeiro eremita foi encontrado e arrastado para fora de seu esconderijo ,  para o mundo. A maioria pode achar sua existência triste, mas o ermita sabia algo que nós não sabíamos, ele sabia que, na realidade, mesmo estando com alguém ou na correria barulhenta das pessoas, é só você. Aquele com quem pode contar, em que pode apoiar-se, e de quem pode depender. Tem que ser você. E assim que perceber isso, é aí que estar sozinho torna-se um escolha.

They found this guy in Maine who had been living completely alone in the woods for thirty years. They called him the last true hermit. Thirty years without the warmth of human touch, without conversation. But the hermit felt more lonely when he was out in the world but never felt it in the woods surrounded by people. But drowning in solitude, that kind of loneliness can swallow you whole........The last true hermit was found and dragged out of hiding and into the world. Most might find his existence sad but the hermit knew something we didn’t. He knew that when it comes down to it, even when you’re with someone or in the nosy rush of people, it’s just you. The one you can count on and lean on and depend on. It has to be you and once you figure that out, being alone becomes a choice. 

Narração: 11x09 "Where Do We Go From Here"



Quando exposto ao trauma, o corpo implanta seu próprio sistema de defesa. A partir do primeiro segundo que o cérebro recebe o sinal que uma catástrofe aconteceu. O sangue corre para os órgãos que precisam de mais ajuda. O sangue flui para os músculos, os pulmões, o coração, o cérebro. O cérebro toma uma decisão pelo o resto do corpo. Ou enfrentar o perigo ou se desliga. É um mecanismo destinado a proteger o corpo contra danos. De saber que o que tem acontecer pode ser irreparável. Nós o chamamos de choque............Quando o choque termina, quando o corpo pode aceitar que um trauma aconteceu, quando ele pode baixar suas defesas, é um momento assustador. É vulnerável. A resposta do choque, nos protegeu e pode ter nos salvado.

When exposed to trauma, the body deploys its own defense system. From the first second that the brain receives the signal that a catastrophe has happen. The blood rushes to the organs that need help the most. Blood flows into the muscles, the lungs, the heart, the brain. The brain makes a decision for the rest of the body. Either face the danger or runaway. It’s a mechanism designed to protect the body from harm. From knowing that what has happen might be irreparable. We call it shock..When the shock where’s off, when the body can accept that a trauma has happened, when it can let down its defenses, it’s a scary moment. It’s vulnerable. The shock response had protected us and it just might have saved us.

Narração: 11x08 "Risk"



A memória de ninguém é perfeita ou completa, nos misturamos as coisas, perdemos a noção do tempo, estamos em um lugar e então em outro e tudo parece um longo e inevitável tempo. É como minha mãe costumava dizer, 'O carrossel nunca para de girar........A memória de ninguém é perfeita, nos misturamos as coisas, perdemos a noção do tempo, estamos em um lugar e então em outro e tudo parece um longo e inevitável tempo. Então o que isso significa? O que perdemos?Qual parte irá nos perseguir, nos machucar, nos acabar ou nos inspirar? É como minha mãe dizia, 'O carrossel nunca para de girar.... você não pode pular'

Nobody’s memory is perfect or completa. We jumble things up, loose track of time. Here in one place then another and it all feels like one long, inescapable moment. It’s just like my mother used to say, ‘The carousal never stops turning.......Nobody’s memory is perfect or complete. We jumble things up. We loose track of time. You’re in one place then another and it all feels like one long, inescapable moment. So what does it mean? What do we take away? Which pieces will haunt us, hurt us, end us, inspire us? It’s just like my mother used to say, ‘The carousal never stops turning. You can’t get off.’

Narração: 11x07 Could We Start Again, Please?


Narração: 11x06 - Don't Let's Start

11x06 - Don’t Let’s Start

11x12 "The Great Pretender" Sneak Peek #1



Fonte: Television Promos

Disqus